Mexico, Guanajuato

O discurso literário sobre a revolução haitiana na literatura francesa e na literatura do Caribe do século XIX

O projeto pesquisará textos literários do final do século XVIII e XIX. Serão selecionados textos que tenham como objeto, reconstruam, comentem ou se posicionem como marco referencial a respeito da revolta dos escravos de Santo Domingo e a revolução haitiana (1789- 1804). A questão central será  a negociação e a representação dos conflitos em textos literários, assim como o tratamento estético dado à violência.

A revolução haitiana será vista como um sucesso transatlântico, transnacional e, finalmente, transcultural, onde não apenas os ideais da revolução francesa foram importados e a questão colonial entre a França e Santo Domingo/Haiti, entre o Caribe e a América Latina e entre o Caribe e os Estados Unidos, mas também que produz formas culturais e simbólicas. Já que por um lado se trata da constituição da nação haitiana tomando como recurso o sucesso da  revolução, será questionado até onde esse sucesso pode servir como o multiplicador e o modelo para as aspirações de independência no continente latino-americano e que imagens, através de representações visuais e de mídia, são perpetuadas no Caribe e além dele (em Cuba, na Bolívia, na Venezuela e no Brasil). O trabalho debate uma revisão da opinião corrente de que os contemporâneos estavam exclusivamente confusos, assim como ameaçados por sua violência e sua crueldade. Para o debate francês, não se trata apenas da questão colonial, da sua atitude frente à escravidão e das fronteiras dos ideais revolucionários, mas sim, fundamentalmente, da determinação do que é próprio através da delimitação do outro na forma dos colonizadores brancos assim como do povo e dos escravos não-brancos.

Já que o movimento subversivo anticolonial foi atravessado por uma revolução racista, a constituição do sujeito do cidadão através da raça e da classe constitui o eixo central para a compreensão do sucesso e suas representações.

Ainda que o sucesso tenha tido um forte impacto de época e continental, no século XIX existem muito poucos textos canônicos sobre esse sucesso. Os textos literários constituem, portanto, o objeto de estudo num sentido mais amplo: junto a novelas, memórias, biografias e poesia em verso, estão incluídos também ensaios, relatos de viagens anotações de diários e cartas.

Este projeto representa, no marco de uma cooperação científica para o tratamento estético de conflitos bélicos e violentos, sobretudo de conflitos sobre guerra civil, uma volta ao ponto de partida das raízes das construções das nações, colocando junto os conceitos de guerra civil e de revolução. Por outro lado, é posto em questão o cruzamento das histórias européia e caribenha.

 

Instituição:

Instituto de Estudos Latino Americanos

Colaboradores(as):