Springe direkt zu Inhalt

Ciclo de debates: Diálogos Brasil-Berlim

Depositphoto

Depositphoto
Crédito: by createfirst

Notícias de 17.11.2020

Realização: Instituto de Estudos Latino-Americanos (LAI) da Freie Universität Berlin

Em colaboração com: Fundação Friedrich Ebert (FES), Fundação Heinrich Böll (hbs), Fundação Rosa Luxemburg (RLS), Fórum América Latina (LAF), Centro de Pesquisa e Documentação Chile-América Latina/Iniciativa Brasil-Berlim (FDCL), MISEREOR, Maria Sibylla Merian Centre Conviviality-Inequality in Latin America (Mecila), Global South Studies Center (GSSC) da Universität zu Köln.

  • O Brasil em meio a múltiplas crises

O Brasil passa por diversas crises simultâneas. No plano político, o avanço da extrema direita vem colocando as instituições e o convívio democráticos  permanentemente em xeque.  Do ponto de vista econômico, a estagnação que vigora desde 2015 vem sendo agravada pela crise vinculada ao Coronavírus na medida em que a negligência do governo federal facilitou a propagação descontrolada dos contágios. Do ponto de vista ambiental, o descuido estatal na aplicação e fiscalização da legislação pertinente e o debilitamento deliberado dos organismos de proteção ambiental levaram a uma crise ecológica sem precedentes. Essas crises múltiplas aprofundam-se e alimentam-se mutuamente, criando, para o país, um cenário de incertezas e distopias.

Diante deste contexto, cabe buscar tanto analisar os processos em curso quanto discutir e difundir junto à opinião pública interessada argumentos  e instrumentos que possibilitem a compreensão e a busca de superação dessas múltiplas crises. O objetivo deste ciclo de debates é, portanto, propiciar uma discussão qualificada entre especialistas, jornalistas, artistas, ativistas e parlamentares no Brasil e na Alemanha visando promover o esclarecimento e o aprendizado mútuos. 

  • Título e formato

O título da série de eventos "Diálogos Brasil-Berlim"  refere-se, por um lado, à organização do evento no âmbito das redes de  cooperação entre a Alemanha e o Brasil e que têm em pessoas e instituições sediadas em Berlim um de seus pontos de cristalização. Por outro lado, o ciclo de debates busca dar voz e corpo ao mal-estar amplamente sentido na Alemanha e internacionalmente a respeito dos atuais desenvolvimentos no Brasil após a fase de democratização bem sucedida, particularmente a partir dos anos 90.  

As nove sessões agendadas incluem mesas-redondas e conferências  seguidas de comentários e discussão.  As discussões nas mesas-redondas consistirão em quatro apresentações de até 15 minutos de duração cada uma. As conferências terão uma duração de 25 minutos e serão seguidas por dois comentários de até 10 minutos cada um.  Após as apresentações, serão reservados 20 minutos para discussão entre os participantes do painel, seguidos de uma discussão de 40 minutos com base em perguntas da audiência, enviadas através do chat de transmissão do evento.  A série de eventos será realizada em português e alemão, com tradução simultânea e transmissão em live-streaming. Os eventos terão lugar uma vez por semana, às terças-feiras, 14-16h (horário de Brasília), 18-20h (horário de Berlim). 

  • Temas e participantes convidadxs ou a convidar

Ciclo de debates: Diálogos Brasil-Berlim

1. O Brasil sob a crise do COVID-19
1º de dezembro de 2020

Esta mesa discutirá as consequências econômicas, sanitárias, sociais e políticas da pandemia no Brasil. 

2. Guerras culturais e resistência política
8 de dezembro de 2020

A guinada à direita no Brasil, como na maioria dos casos similares, não seria concebível sem a produção de uma clivagem deliberada da sociedade entre "esquerda" vs. "direita", “famílias de bem" vs. „corruptos e criminosos", "minorias privilegiadas" vs. “povo”. Este painel discutirá em detalhe como funciona esta estratégia de divisão da sociedade e os meios para se contrapor a ela.

3. A democracia sob pressão
15 de dezembro de 2020

A conferência inaugural  do Ministro do Supremo Tribunal Federal e os comentários adicionais buscarão discutir as pressões correntes à ordem democrática provindas tanto dos novos movimentos de direita quanto de atos, declarações oficiais e atitudes de representantes do estado brasileiro. Igualmente de interesse para a discussão são os instrumentos e mecanismos que vêm sendo mobilizados para conter tais ameaças.   

4. Meio ambiente: destruição sem limites

Desde 2016, os limites legais e reais impostos à extensão da acumulação de capital aos bens comuns e ambientais (ecossistemas, reservas, áreas protegidas, etc.) estão sendo  rapidamente removidos. A mesa discutirá quais são as consequências humanitárias (para os povos indígenas, quilombolas, etc.) e ecológicas desta "abertura" e as respostas no plano nacional e internacional a estes desafios.

5. Relações campo-cidade: entre a agroexportação e a soberania alimentar

A opção econômica pela agroexportação no momento em que as lutas pela soberania alimentar fortalecem as alianças entre os movimentos sociais urbanos e rurais faz do mundo rural brasileiro um espaço marcado por velhos e novos conflitos sociais, econômicos e ambientais. Quais são os desenvolvimentos atuais? Que alternativas e cenários estão surgindo? Estas são as questões centrais que guiarão as discussões nesta mesa.

6. Trabalho, precariedade e agravamento das desigualdades sociais

Desde 2016, direitos sociais, ampliados no decurso da democratização, têm sido sistematicamente suprimidos. Estes cortes, agravados pelo contexto de crise econômica, implicam um crescimento alarmante do emprego informal e precário, do desemprego, da pobreza e da concentração de renda e riqueza. Estes desenvolvimentos serão discutidos na mesa, a partir da perspectiva de diversos setores.

7. Direitos Humanos sob ataque: desafios e perspectivas 

Sob o lema "direitos humanos para humanos direitos", o conservadorismo de direita no Brasil tem desafiado o caráter universal e indivisível dos direitos humanos, os quais contemplam de forma inseparável e complementar direitos civis-políticos e econômicos, direitos sociais e culturais. Neste contexto, os instrumentos de proteção dos direitos humanos vêm sendo sistematicamente debilitados, enquanto pessoas dedicadas à sua defesa vêm sendo crescentemente ameaçadas e criminalizadas. O painel discute estas ameaças e as reações a elas por parte da sociedade civil, do judiciário e dos organismos internacionais de controle.

8. Alemanha-Brasil: convergências e divergências

A estreita cooperação  germano-brasileira nos planos econômico, científico, da sociedade civil e da cultura implica responsabilidades mútuas. O painel discutirá as relações entre os dois países nestes diversos âmbitos, procurando elucidar quando esta cooperação contribui para melhorar e quando ela contribui para deteriorar a situação ambiental, os direitos humanos e a democracia no Brasil.

9. Perspectivas: Reconstruindo nosso futuro comum

Neste painel de encerramento, serão discutidos, a partir da conferência do escritor e filósofo indígena Ailton Krenak, projetos e visões da sociedade civil e iniciativas democráticas para gerir e superar o quadro de crise múltipla discutido.

1 / 3