Springe direkt zu Inhalt

Geografia como profissão: campo, autorrepresentação e historiografia (1934-1955)

Historamericana_46

Historamericana_46

Patricia Aranha

O objeto de estudo do presente livro é a institucionalização da geografia como disciplina no Brasil, examinando os ambientes em que os geógrafos eram formados e por onde circulavam profissionalmente, bem como disputas nas quais estavam inseridos, desde as querelas em relação ao curso universitário à consagração do tipo ideal de geógrafo enquanto profissional. Ademais, incorpora as histórias da geografia escritas por geógrafos e os debates relativos às suas narrativas e trabalhos de síntese. O recorte temporal abrange o período de 1930 a 1956, momento da criação de um aparato institucional para a geografia brasileira, composto pelas primeiras cátedras universitárias, além da fundação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, do Conselho Nacional de Geografia, da Associação dos Geógrafos Brasileiros e da Revista Brasileira de Geografia - culminando na separação entre os cursos de Geografia e Historia, em 1955. Dessa forma, analisa-se a referida institucionalização a partir da colaboração entre Universidade e institutos técnico-profissionais, demonstrando que tal relação marcou indelevelmente a história da geografia, podendo ser considerada o principal motor da própria separação entre esta disciplina e a história.

Titel
Geografia como profissão: campo, autorrepresentação e historiografia (1934-1955)
Verfasser
Patricia Aranha
Art
Text
Temporalities
Zwischen Räumen
logo_sfb700
GIH
Einstein Foundation
CDOH Logo
Logo_MemoriAL